Será que estamos tratando o sintoma, mas não a causa do diabetes tipo 2?

Por Alex Rafacho, Dpto de Fisiologia – UFSC

(versão estendida em vídeo, clique aqui)

”No tempo de Copérnico e Galileu, a ciência virou o mundo de cabeça para baixo. A Terra não estava mais no centro do universo, enquanto novas descobertas de anatomia, fisiologia, química e física lembravam as pessoas de que, no final das contas, os antigos não sabiam tudo. Ainda havia muita coisa a ser descoberta”.1 Como dizia um dos grandes filósofos da ciência, o inglês Francis Bacon (1561-1626), um dos precursores do método científico, ‘conhecimento é poder’. A ciência, por meio do método científico, nos permite compreender os fenômenos da natureza e, com isso, melhorar nosso conforto, nossa saúde e até nossa felicidade. A ciência deve ser praticada sem o viés de quem a realiza, deve ser imparcial e estruturada num formato que possa ser confrontada e até mesmo colocada em xeque-mate, ou seja, que as conclusões refutadas deixem de ter seu significado, como reforçava o grande filósofo da ciência Karl Popper (1902-1994).2 Contudo, nem Continuar lendo

Um grande avanço no combate ao diabetes mellitus tipo 1

Por Marco Augusto Stimamiglio                                                                                           Instituto Carlos Chagas – Fiocruz/PR

Marco - figuraÉ possível que estejamos mais próximos de encontrar a cura para o diabetes tipo 1. Ao menos, é o que sugere um estudo publicado no início de 2016, na renomada revista Nature Medicine. Neste estudo, os pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) demonstram que as células β produtoras de insulina, derivadas a partir de células-tronco humanas, foram capazes de reverter a condição do diabetes Continuar lendo