A presença de nervos sensitivos é importante para formação dos dentes

Por Michelle Tillmann Biz – Dpto. de Ciências Morfológicas / UFSC

O desenvolvimento de um organismo envolve um coordenado e complexo processo de interação entre células de diferentes tipos e origens, que culmina no desenvolvimento de tecidos e órgãos. A manutenção da homeostase (estado de equilíbrio do organismo), durante o processo de desenvolvimento, é muito importante para que o órgão alcance a sua adequada função completa. Assim, alguns estudos já demonstraram que a presença dos nervos fornece este microambiente de homeostase tecidual favorecendo a regulação do comportamento das células-tronco mesenquimais. Em alguns modelos, já se verificou que a “desnervação” (remoção do nervo de um determinado local) impacta o comportamento celular e o desenvolvimento de determinados órgãos. No que tange o desenvolvimento dos dentes, pela primeira vez Cientistas Descobriram Que os nervos sensitivos presentes na face possuem um papel crucial na homeostase durante o desenvolvimento do órgão dentário.

Em termos fisiológicos, os nervos classificam-se basicamente em sensitivos e motores. Enquanto os sensitivos são Continuar lendo

Muito sal na sua dieta pode enfraquecer o seu sistema imune

Por Daniel Fernandes, Departamento de Farmacologia UFSC

Que o excesso de sal pode aumentar sua pressão arterial e, portanto, o risco de outras complicações cardiovasculares, provavelmente você já sabia. Mas agora cientistas descobriram que o sal em excesso pode também comprometer o sistema imunológico, dificultando o combate a infecções.

Pesquisadores do Hospital Universitário de Bonn na Alemanha mostraram que camundongos alimentados com uma dieta rica em cloreto de sódio, o nosso conhecido sal de cozinha, apresentaram um quadro de infecção urinária mais grave do que os camundongos que receberam uma dieta normal.

Para entender o que estava acontecendo, os pesquisadores avaliaram a resposta dos neutrófilos, células brancas de defesa do sangue, que dão o primeiro combate a agentes invasores e são importantes para combater infecções bacterianas. Os pesquisadores mostraram que os neutrófilos isolados dos rins dos animais que receberam uma dieta rica em sal não foram capazes de matar bactérias (a chamada função bactericida) de forma eficiente. Portanto, a dieta rica em sódio pode agravar infecções por comprometer a função bactericida das células de defesa. Continuar lendo

Nanopartículas inteligentes: como elas são capazes de carregar remédios e encontrar as células doentes do corpo humano para fazer a entrega?

Por Keli F. Seidel – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR

Muitos de vocês conhecem bem certos aplicativos onde é possível solicitar comida e esta é entregue na sua casa (delivery = entrega). Com o endereço correto, a comida chegará até você. Esta é a analogia ao assunto de nosso texto onde vamos falar sobre nanopartículas capazes de auxiliar no “drug delivery” (drug delivery = entrega de medicamentos). Das várias dúvidas que podemos ter sobre este assunto, talvez a mais intrigante é: como as nanopartículas sabem em qual célula (o “endereço”) deve entregar o medicamento?

Estudos sobre drug delivery já vêm sendo explorados há mais de 20 anos. A utilização de sistemas nanoestruturados (nanopartículas, nanotubos, nanofios etc.) para realizar entrega de remédios permite o desenvolvimento de novos sistemas para um transporte eficiente de remédios, onde há uma liberação controlada destes medicamentos, aos tecidos doentes de sistemas vivos. Continuar lendo

Abaixo à corrupção tumoral!!: O retorno

Por Bruno Costa da Silva – Champalimaud Centre for the Unknown/Lisboa – Portugal

Fonte: istock

Em sequência ao texto “Abaixo à corrupção tumoral!!”, publicado no CDQ em outubro de 2013, falaremos nessa ocasião sobre o recente artigo do grupo do Dr. Ingo Ringshausen, da Universidade de Cambridge, publicado em 15 de janeiro de 2020 na revista americana Science Translational Medicine. Neste trabalho, Cientistas Descobriram Que o uso de drogas dirigidas às células não tumorais podem resultar em respostas melhores e mais prolongadas contra tumores hematológicos.

Desenvolvimentos contínuos em técnicas cirúrgicas têm resultado em aumentos importantes na sobrevida e até mesmo na cura de diversos tipos de tumores “sólidos”, ou Continuar lendo

O Umbigo de Adão? Uma discussão sobre criacionismo

Por Paulo César Simões-Lopes  – Dpto de Ecologia e Zoologia – UFSC

Existem coisas que ninguém mais deveria propor, muito menos ensinar aos outros. coisas sem nenhuma fundamentação científica. A pergunta é simples e objetiva e mesmo um “terraplanista” conseguiria responder de pronto. Adão tinha umbigo?

Resposta número 1: tinha ora!… todo mundo tem umbigo, a charmosa cicatriz do cordão umbilical que nos liga à placenta Continuar lendo

Redescobrindo um velho fármaco para o tratamento do novo coronavírus (SARS-CoV-2)

Por Izabella Thaís da Silva – Dpto. de Farmácia, UFSC

Para um medicamento ser lançado no mercado farmacêutico, ele precisa cumprir diversas etapas de pesquisas e testes até ser aprovado pelo órgão competente do país produtor. O processo de regulamentação de um novo medicamento é longo, rigoroso e custa muito caro para a indústria farmacêutica. Para se ter ideia, são necessários, em média, 15 anos e mais de 500 milhões de dólares para que um novo fármaco alcance as prateleiras das farmácias.

O processo de desenvolvimento de um novo medicamento deve cumprir diversas etapas, desde as que precedem seu uso por seres humanos até o acompanhamento após o Continuar lendo

O impacto do câncer de boca na qualidade de vida dos pacientes

Por Filipe Modolo – Dpto. de Patologia, UFSC

Imagem original: fundacred.org.br

O câncer de boca é uma doença extremamente importante no contexto da saúde pública do Brasil, representando o quinto tipo de câncer mais frequente entre os homens e o 12º entre as mulheres1. Tal importância já foi anteriormente discutida neste Blog, no texto: Qual o seu lugar na “fila do câncer de boca”. O tratamento do câncer de boca é determinado pelo estádio clínico da doença e deve levar em conta a preservação das funções bucais, mastigação, ato de engolir e fala2. A remoção de todo o tumor e mais uma parte do tecido não doente na sua volta é o tratamento padrão e pode ser complementada por radioterapia ou quimioterapia.

Cientistas descobriram que… o tratamento do câncer de boca tem impactos negativos extremamente importantes e profundos na qualidade de vida dos pacientes. Segundo a equipe de pesquisa do Continuar lendo