Pesquisadores brasileiros investigam a estrutura da Via Láctea

Por Emille Ishida                                                                                                                   Pesquisadora no Instituto de Astrofísica Max Planck, Alemanha

Para ouvir o áudio do texto com o autor, clique aqui.

Representação artística do modelo mais aceito para a estrutura da Via Láctea. O nosso Sol se encontra a aproximadamente ⅔ do caminho entre o centro e a borda da galáxia. imagem: NASA/JPL-Caltech/R. Hurt (SSC/Caltech)

Representação artística do modelo mais aceito para a estrutura da Via Láctea. O nosso Sol se encontra a aproximadamente ⅔ do caminho entre o centro e a borda da galáxia.
imagem: NASA/JPL-Caltech/R. Hurt (SSC/Caltech)

Em muitas formas, a astronomia pode ser considerada um exercício de autoconhecimento. Como já discutimos anteriormente aqui no CDQ (ver Laniakea: um super-aglomerado para chamar de lar), muitas vezes estamos apenas tentando conhecer melhor nosso lugar no Universo. A situação não é diferente quando se trata da Via Láctea. Sabemos que vivemos em uma galáxia espiral e que o Sol se encontra a aproximadamente ⅔ da distância entre o centro e a borda. Continuar lendo

Laniakea: um superaglomerado para chamar de lar

 Por Emille Ishida                                                                                                                     Pesquisadora no Instituto de Astrofísica Max Planck, Alemanha

Para ouvir o áudio do texto com a autora, clique aqui.

AstrônEmille figuraomos foram capazes de detectar pela primeira vez os limites do superaglomerado do qual a nossa galáxia faz parte. Utilizando medidas de velocidade de mais de 8.000 galáxias, foi possível construir um mapa que determina o movimento de cada uma delas em relação às outras. A partir desse mapa foram identificados dois grandes grupos que Continuar lendo