A caminho de uma restauração dentária biológica

Por Michelle Tillmann Biz – Dpto. de Ciências Morfológicas / UFSC

As restaurações dentárias, em decorrência de cáries, são uma rotina nos consultórios odontológicos e envolvem o uso de materiais sintéticos e/ou cimentos minerais.

Em relação à profundidade da cárie, podemos ter vários níveis de lesões (Figura 1). Geralmente as cáries rasas e médias atingem somente o esmalte e a dentina. Já as cáries profundas podem atingir a polpa dentária, um tecido vital, rico em células-tronco (vide texto anterior no CDQ sobre o assunto), que se encontra no interior do dente.

Figura 1: Diferentes profundidades de cavidades de cárie. (adaptado de Avery e Chiego Jr., 2001)

Em todos os casos, após o acesso à lesão de cárie e limpeza da cavidade, os materiais restauradores preenchem essas cavidades permanecendo no dente de forma definitiva. Mas, quando a cavidade é profunda e expõe a polpa dentária, uma sequência de eventos de reparo natural é ativada nesse tecido. Neste processo, células-tronco residentes da polpa serão mobilizadas a diferenciarem-se em novas células produtoras de dentina (os odontoblastos). Esses odontoblastos irão produzir Continuar lendo

Células-tronco pluripotentes induzíveis – iPSCs podem realmente ajudar a tratar doenças?

Por Gabriela Pintar de Oliveira                                                                                                  CIPE – Centro Internacional de Pesquisas. Hospital AC Camargo – SP

Gabriela - figuraDesde que foi observada pela primeira vez, em 1665, por Robert Hooke, até os dias de hoje, a célula, a menor unidade formadora dos nossos tecidos e órgãos, ainda desperta o interesse dos cientistas. Mais de 200 tipos celulares formam os tecidos e o mais fascinante disso é saber que toda essa diversidade se origina de uma única célula (o zigoto unicelular, originário da união do óvulo Continuar lendo

Alzheimer, AVC, traumas cerebrais: as Jiadifenolides podem te ajudar!

Por Renata  Kaminski                                                                                                                     Dpto. de Química, UFS / Aracajú – SE

Para ouvir o áudio do texto com o autor, clique aqui.

Renata - FiguraQuando uma molécula possui um perfil biológico promissor, sua obtenção é importante. Para metabólitos (que são produtos do metabolismo de determinadas substâncias) abundantes obtidos de organismos ou plantas cultiváveis, o isolamento é a melhor opção. Para metabólitos pouco abundantes ou organismos ecologicamente frágeis ou difíceis de cultivar, a síntese da substância em Continuar lendo

Memória ruim? Chocolate nela!

Por Ricardo Castilho Garcez                                                                                                         Prof. do Dpto. de Biologia Celular, Embriologia e Genética – UFSC

Para ouvir o áudio do texto com o autor, clique aqui.

Depois de consumir bebidas enriquecidas com compostos extraídos de grãos de cacau, a memória de pessoas com idades entre 50 e 69 foi semelhante à de alguém 30 anos mais jovem. Importante! Se você está pensando em turbinar sua memória comendo chocolate, devo ressaltar que você teria que comer Continuar lendo