Sobre a velhice e os tumores

Por Bruno Costa da Silva                                                                                                  Pesquisador do Champalimaud Centre for the Unknown/Lisboa – Portugal

Dados da Organização das Nações Unidas estimam que a população mundial de pessoas com mais de 60 anos seja superior a 2 bilhões de indivíduos até o ano de 2050. Isso significa que, além de um sistema previdenciário robusto, precisaremos de uma atenção ainda maior aos futuros casos de câncer. Já é sabido que os cânceres são, de maneira geral, doenças de envelhecimento, sendo que quanto mais idosos ficamos maior é o tempo para acumularmos mutações associadas a eles. Continuar lendo

Asfixiando a Corrupção Tumoral: A prisão dos canceres corruptores

Por Bruno Costa da Silva                                                                                                 Pesquisador do Medical College, Cornell University/Nova Iorque – EUA

Bruno CS - FiguraComo já mencionado em outros textos no CDQ, como no texto “Abaixo à corrupção tumoral”, de 30 de outubro de 2013, uma linha no campo de pesquisa sobre o câncer que vem ganhando força nos últimos vinte anos considera que células tumorais não atuam isoladamente. Nesta visão, para o progresso de tumores, processo que envolve crescimento, invasão e disseminação de células tumorais para órgãos distantes (ou mais tecnicamente “metástases”), é necessária a participação de células Continuar lendo